terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Hoje, seis anos volvidos

Hoje, estou feliz,
Alegria salta-me dos olhos,
Risos perdidos numa carruagem de comboio,
Sinto-me vivo,
Com o toque da tua mão,
E um beijo na tua testa.
Levei-te pela mão,
No jardim do Campo Grande,
Levei-te comigo, para todos os recantos
Sem te ter ainda a meu lado,
Tocava-te em cada subida,
Sempre.
Foi tempo de zarpar.
Faz para sempre dos meus braços
A tua Angra.
Tão diferentes,
Mas tão iguais na sede de amar,
Agora somos um do outro...
... always.

João Fernando, 6 de Janeiro de 2009

3 comentários:

Maria Madalena disse...

"O meu tesouro és tu
eternamente tu
não há passos divergentes
para quem se quer encontrar..."
Jorge Palma

Amo-te com aquele amor de quem ama eternamente, um amor mais do que cúmplice, o amor de todas as horas, minutos e segundos e de quem não consegue suportar a distância e a ausência.

Maria Mourão disse...

Poema muito bonito, demonstra bem o amor que sentes para Madalena que sejam sempre muito felizes sempre.
Fatinha

Susana Ferreira disse...

gostei muito ,esse poema tá maravilhoso,cheio de amor.
Realmente mostra muito bem o vosso amor,e que seja como diz o teu poema,amigo João.
beijinhos grandes