domingo, 23 de novembro de 2008

Sombras


Mesmo quando a vida
Não parece querer sair da Lua Nova
Quando a estrada parece um sem fim de obstáculos
Quando não há luz no fundo do túnel
Nem brilham estrelas no céu
Nada mesmo nada parece valer a pena
Nem os rios correm para o mar
Nada corre bem
No horizonte apenas desalento e tristeza
O cinzento nada mais é do que isso, uma cor triste,
As sombras nos invadem a alma
O silêncio nos atordoa,
Lembramos que o amor é tudo o que nos resta
Tudo o que nos dá força, tudo o que nos levanta
E dá ânimo, damos a mão, o ombro, o peito, o colo,
Porque afinal só o amor tudo consegue vencer,
Até a mais tenebrosa das noites.


23 Novembro 2008

3 comentários:

Anónimo disse...

O Amor vence tudo, mas por vezes o Amor pode ser a maior barreira que se ergue entre os que se amam.
Quando duas personalidades tão diferentes se juntam, ou uma se Subjuga à outra, ou então um dia, mais cedo ou mais tarde...

Maria Mourão disse...

É verdade o amor vence tudo!!!
Fatinha

Maria Madalena disse...

Não, infelizmente o amor não vence tudo, há sempre um limite, esse limite é a nossa dignidade. Hoje podemo-nos anular por amor a uma pessoa que amanhã já nem queira olhar para nós, que simplesmente nos ignore, que nos troque por outra. Há uma coisa que eu já aprendi, as pessoas podem ir e vir na nossa vida, mas nós até ao final vivemos sempre com nós próprios. Pode haver cedências de parte a parte, mas anular-se um perante o outro, isso nunca.