domingo, 30 de novembro de 2008

Sou louca sim


Sou louca sim, gosto desta minha loucura, desta minha insanidade.
Deixem-me ser louca assim, pois quem não é louco não vive apaixonado, e quem vive apaixonado forçosamente que é louco. Loucura, génio, paixão e poesia não existem sem coexistirem entre si, por isso quero ser louca, poder expressar todos os meus pensamentos livremente, sem o sentimento de culpa que o preconceito nos quer fazer sentir.
Sei quem amo, sei o que quero amar, sei que esta sociedade não se enquadra na minha forma de estar na vida, por isso deixem-me, libertem-me, não me prendam, pois quem me prender jamais me terá, serei apenas e só de quem me liberte. Quero ser louca, deixem-me ser louca, se me querem feliz, deixem-me ser louca. Quero com o meu olhar, abarcar o céu, o mar e tudo o que está entre um e outro. Quero ser como Fernão Capelo Gaivota, não me imponham regras, não me digam o que tenho que fazer. Eu tenho as minhas regras, e sei até onde quero ir; Deixem-me ser como o Principezinho, deixem-me conhecer as cousas todas, deixem-me conhecer as pessoas todas, doutores, prostitutas, gente simples, gente apaixonada, gente gente, gente louca como eu, para que possa dar valor ao que tenho; deixem-me conhecer o mal, para que possa apreciar o bem, deixem-me sofrer para que possa distinguir a alegria, e se for possível, deixem-me conhecer a morte para que poda dar valor à vida.
Deixem-me ser eu, deixem-me viver as minhas emoções a fundo, deixem-me ser louca, não me prendam as asas, deixem-me ser como sou se me querem autenticamente feliz.
Confiem em mim, quando digo que amo é porque amo, não minto, eu não sei mentir no amor, mas saibam que, muitas faces tem o amor e muitas formas são as de amarmos. Deixem que eu possa expressar livremente os meus sentimentos, sem preconceitos e falsos pudores. Quando eu quiser dizer amo-te, não critiquem, não tirem falsas conclusões. Cada ser é único e tem o direito de, dentro dessa individualidade, ser respeitado. Cada um tem o direito de ser aceite tal como é, não como os outros querem que seja.
"Pensamentos Soltos" Maria Madalena

4 comentários:

João Fernando disse...

E é amar-te assim perdidamente. Voar com as asas que a imaginação nos dá, gaivota ou milhafre, pairando bem alto, bem acima das nuvens e mergulhar nelas como num colchão de penas, molharmo-nos com as lágrimas do nosso rosto, embaciarmos os vidros dum Fiat Punto em segunda mão... Porque somos mesmo assim...

Maria Madalena disse...

Depois, de um Monte Velho e umas caipirinhas, o céu é o límite, ...dentro do limitado espaço de um... Fiat Punto em segunda mão! Se eu puder amar, se me deixarem amar, eu amarei, sem limites e poderei ser feliz e fazer feliz os que me rodeiam. Só peço uma coisa, ou melhor duas, confiem em mim e não me rotulem, não sou fácil, nem leviana, sou mulher.

Artista sonhadora disse...

titi ,como dizia um poeta,de poetas e loucos todos temos um pouco não é.
De facto a nossa Sociedade,ainda há coisas que não aceita,e não uma total liberdade mesmo de expressão,apesar de se ter dado o 25 de Abril,é uma Sociedade que discrimina muita gente.
Mas sonhar isso pode-se sempre e viver e tentar ser feliz.
claro que se deve ser respeitado,e que devemos ser como somos e quem não nos aceitar assim que se lixem,além de que sobre os sentimentos nunca se deve mentir,e quanto a ti tenho a certeza que não mentes,porque salta a olhos vistos que tens muito amor pelo João e mais é verdade quando dizes que há várias formas de amor,e há mesmo ,há pela família,há pelos amigos ,não é só entre um casal,são amores diferentes só isso,portanto apesar de algumas pessoas pensarem que não é assim e julgarem isso,não há qualquer problema até de dizermos que amamos muito os nossos amigos por exemplo.
beijinhos grandes titi Madá

Maria Mourão disse...

texto lindo, sim sê louca pela paixão e pelo amor,vive sempre essas emoções,expressa livremento as tuas ideias e sentimentos.
Eu já te disse e torno a repetir tu és uma pessoa linda
Fatinha