sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Quando nos conhecemos...


Quando nos conhecemos, mandei-te um texto meu e um poema dum grande amigo meu dedicado ao seu grande amor.
Hoje escrevo-te eu o meu, a ti meu amor de todos os dias...


Nas areias brancas do teu corpo,
o meu corpo feito mar
vai desmaiar em ondas de prazer,
do teu corpo de colina
saem espasmos,
terra tremendo de sede e desejo
da tua boca gemidos,
dos teus lábios húmidos
sequiosos da minha boca,
do meu corpo,
um implorar para que entre em ti
e tu me sintas todo dentro de ti,
dos teus lábios
que eu beijo ao de leve,
profundamente,
demoradamente,
que me beijam e arrepiam,
me fazem encolher de prazer,
desfalecer num momento
que parece não ter fim,
sinto as tuas mãos no meu corpo,
os teus dedos num toque suave de um beijo,
a saudade de não te ter aqui a meu lado,
aqui, ali,
onde quer que esteja sem ti...

João Fernando
Massamá, 19 de Dezembro 2008

2 comentários:

Maria Madalena disse...

Um poema que me arrepia até à alma, e este feito especialmente para mim. E se os meus olhos brilham como tu dizes, é do amor que sinto por ti, embora por vezes baços pela tristeza das lágrimas, quando estas secam, voltam os meus olhos de novo a brilhar, tal como o Sol após a tempestade.

Maria Mourão disse...

Só podia ser dedicado á Madalena,está lindo:)))
Fatinha