quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O nosso livre arbítrio

Livre arbítrio… será que o temos? Temo que não. São maiores as amarras que nos prendem, do que as grades de uma prisão.
Estou farta de poesia, de sonhar, de esperar, de planear vidas que não posso viver. Será cobardia, ou apenas me faltam as forças?
Era tão simples se não nos cobrassem nada. Porque motivo as pessoas que mais nos amam, são aquelas que invariavelmente nos fazem mais sofrer? Ironia ou talvez não. Se nos querem tanto bem, porque não nos deixam viver a vida que escolhemos? Porque motivo nos acorrentam e não nos deixam seguir em frente?
Os meus pés, estão enterrados num chão de cimento seco, vou-me vergando com o vento, arrastada por ele, sem opção de escolher o meu próprio caminho.
Era tudo tão simples, se não insistissem em complicar tudo.

Apenas nos iludimos ao pensarmos que somos donos do nosso próprio destino, das nossas próprias vontades.



Maria Madalena, 29 de Janeiro de 2009

Pensamentos soltos

4 comentários:

João Fernando disse...

Talvez tempo de zarparmos, levantarmos âncora até Atlantis...

Maria Madalena disse...

e o resto?

Maria Mourão disse...

Não somos donos do nosso próprio destino mas podemos, em muita coisa mudá-lo
Fatinha

Susana Ferreira disse...

pois é titi,infelizmente não somos donos do destino,e não temos liberdade total ,mesmo depois do 25 de Abril continua a não haver essa liberdade.bem quanto ás pessoas que nos amam como tu dizes nos fazem sofrer,faz parte não é,e isso penso que seja porque gostam muito de nós,tem medo que nos aconteça alguma coisa de mal e querem a nossa companhia,penso que será isso.São tudo coisas que fazem parte da vida,e das relações não é.
beijinhos grandes titi.